Universidade de Oklahoma expulsa fraternidade por canção racista

A Universidade de Oklahoma, no sul dos Estados Unidos, decidiu nesta segunda-feira (9) expulsar de seu campus uma de suas maiores fraternidades após a divulgação de um vídeo no qual seus membros cantam uma música com forte carga racista.

A decisão da administração ocorre dois dias após a celebração dos 50 anos da marcha pelos direitos civis em Selma, Alabama.

No vídeo, os estudantes entoam letras muito ofensivas contra os negros e afirmam que a sua fraternidade, Sigma Alpha Epsilon, jamais admitirá um membro negro.

A direção da Sigma Alpha Epsilon, com 15 mil membros nos Estados Unidos e presente em dezenas de universidades, pediu desculpas e classificou esta música de inaceitável.

“Este tipo de comportamento é contrário a todos os nossos valores”, declarou, por sua vez, o presidente da universidade de Oklahoma, David Boren.

Segundo a rede de televisão local KOCO, os membros da fraternidade deverão abandonar o campus até a meia-noite desta segunda-feira.

O vídeo foi divulgado na noite de domingo através do YouTube pela Unheard Movement, uma associação afroamericana da universidade.

O vídeo, que dura nove segundos e parece ter sido produzido em um ônibus, mostra jovens vestidos de smoking e uma mulher loira cantando. No entanto, não se sabe quando ele foi feito.